A levada serena de Teresa Cristina chega ao seu capítulo ao vivo. Com o álbum Melhor Assim, a cantora de 42 anos conseguiu estabelecer a fusão entre samba e MPB, derrubando qualquer muro entre os estilos.

Essa separação, segundo ela, "é coisa do mercado". Acostumada a subir a Lapa carioca para interpretar os sambas de Paulinho da Viola, desta vez Teresa veio com um trabalho quase 100% autoral. Para fugir do rótulo de rainha da Lapa - nada incômodo, segundo ela, mas limitador - apostou em diferentes ritmos, como um baião ("Capitão do Mato") e uma canção de ninar ("Lembrança"), por exemplo. No DVD gravado no Espaço Tom Jobim, no Rio de Janeiro, em outubro do ano passado, ela foi cercada por convidados, como Seu Jorge (em "Pura Semente") e Marisa Monte (na terna "Beijo Sim"). Nos extras, teve a presença de Lenine e Caetano Veloso.

"O Caetano havia me convidado para cantar em 2008, no show Obra em Progresso", disse Teresa Cristina, ao JT. "Retribuí o convite e pedi uma canção inédita a ele. Como ele estava atribulado com a produção de seu álbum Zii e Zie, só pôde participar dos extras do DVD com Festa Imodesta, música que representa o louvor aos compositores brasileiros na época da ditadura", destaca ela.

Com Marisa Monte, a proximidade desde os tempos do bar Semente, na Lapa, fez a participação surgir mais naturalmente. "Frequento a casa da Marisa há muitos anos. Numa dessas vezes, a Adriana Calcanhotto também estava lá mostrando novas canções. Beijo Sim era uma delas e eu me apaixonei. Pedi permissão para cantá-la e chamei a Marisa para fazer o dueto", conta Teresa.

Uma das mais velhas cantoras que trafegam entre as 'novas' da MPB, Teresa sabe como não cair em contradição. "O termo 'nova', quando se chega aos 42 anos, é ótimo. Mas sinto que estou fora dessa seara. As cobranças são maiores e estou preparada."

Essa miscelânea de gêneros e identidades poderá ser vista pelos paulistanos neste sábado, no Sesc Pinheiros, em São Paulo. Será o show com o repertório baseado no DVD de 26 faixas, além de sucessos como "Candeeiro". Uma das mais afinadas e talentosas cantoras brasileiras de sua geração, Teresa Cristina ganha registro merecido. A Teresa da Lapa hoje é da MPB, do baião, da canção de ninar, do choro. A gênese do Brasil que canta e que quer ser ouvido. As informações são do Jornal da Tarde.

Teresa Cristina . Sesc Pinheiros. Rua Paes Leme, 195, Pinheiros. Tel. (011) 3095 -9400. Sábado (17), às 21h. De R$ 5 a R$ 20.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.