Terceirização dá lucro de R$ 9 milhões no Senado

O Senado contratou a Ipanema Empresa de Serviços Gerais e Transportes Ltda para terceirizar a produção da TV Senado, garantindo à prestadora de serviços, em encargos sociais e lucros, o equivalente a 214% do total do salário-base dos funcionários contratados. A empresa é uma das denunciadas pelo Ministério Público Federal por improbidade administrativa, sob a acusação de participar de um esquema de fraudes licitatórias no Legislativo.

Congresso em Foco |

A diferença entre a soma dos salários dos 337 terceirizados, incluídos os devidos encargos, e o valor que o Senado admite ter pago, entre 2006 e 2007, indica que a empresa teve um lucro de, pelo menos, R$ 9 milhões em apenas um ano. A Ipanema admite que seus custos com encargos não passam de 74%, o que aponta para uma margem de lucro de 140%.

O primeiro aditivo ao Contrato 18/2006 foi assinado pelo primeiro-secretário, senador Efraim Morais (DEM-PB), e pelo diretor-geral da Casa, Agaciel Maia. O documento mostra que, entre abril de 2006 e abril de 2007, seriam pagos R$ 27,4 milhões pelos serviços de 337 profissionais da Ipanema.

    Leia tudo sobre: senado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG