Com um imponente dispositivo de segurança, a Feira do Livro de Turim foi inaugurada nesta quinta-feira entre as manifestações de protesto organizadas por movimentos pró-palestinos e de extrema-esquerda que criticam o fato de Israel ser o convidado de honra do evento.

"Nenhum diálogo poderá ser ativado se não for reconhecida a existência de Israel e seu direito de existir em paz e em segurança", declarou o presidente italiano, Giorgio Napolitano, ao inaugurar a Feira.

Muitas pessoas, algumas com a bandeira de Israel, compareceram ao pavilhão do país.

Do lado de fora da feira, organizada nos enormes salões da antiga fábrica da Fiat, Lingotto, manifestantes pró-palestinos criticavam Israel.

gd-kv/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.