Tensão cresce em RR às vésperas de audiência no STF

Às véspera da retomada do julgamento sobre a legalidade da demarcação da terra indígena Raposa Serra do Sol, quarta-feira, no Supremo Tribunal Federal (STF), a tensão aumentou em Roraima. No Surumu, a 190 quilômetros de Boa Vista, o Conselho Indígena de Roraima (CIR) está reunindo cerca de 1.

Agência Estado |

500 índios para assistir ao julgamento e participar de uma feira cultural.

Desde sábado, um grupo de 300 indígenas está acampado em frente à fazenda Depósito, do líder arrozeiro e prefeito de Pacaraima, Paulo César Quartiero (DEM), para pressioná-lo a deixar a área. O acampamento fica na comunidade 10 Irmãos, a cerca de oito quilômetros de Surumu. Em abril deste ano, o local foi palco de um dos mais sérios confrontos entre índios e não-índios na região, depois que indígenas invadiram a fazenda e foram recebidos a bala pelos funcionários de Quartiero. O arrozeiro prometeu repetir o episódio sangrento caso os índios voltem a ocupar a fazenda.

O macuxi Dionito José de Sousa, coordenador do CIR, garante que não haverá ocupação até a conclusão do processo de retirada dos não-índios. "Embora a terra seja nossa, vamos aguardar o processo de retirada dos habitantes não-índios, que será feito pelas autoridades competentes".

A Polícia Federal e a Força Nacional de Segurança aumentaram o efetivo em Surumu e Pacaraima, na fronteira com a Venezuela. Eles não divulgaram o número de homens, mas estima-se que haja 500 policiais patrulhando a região. Sobre o risco de novos confrontos, a coordenação da Operação Upatakon 3 - que previa a retirada da população não-índia da região - afirmou que não vai tolerar excessos e que se for preciso agirá com o uso da força.

Manifestações

O CIR prepara ainda manifestações em Boa Vista. Amanhã, os índios farão ato pela demarcação em faixa contínua na Praça do Centro Cívico, onde ficam as sedes do Executivo, Judiciário e Legislativo. Os índios favoráveis à permanência dos arrozeiros na reserva também aumentaram o contingente no Surumu. Segundo a Sociedade de Defesa dos Índios Unidos de Roraima (Sodiurr), eles farão manifestações na quarta-feira, em Boa Vista, na sede da entidade, na periferia da capital. Já os arrozeiros não programaram nenhum manifesto, informou o presidente da Associação dos Rizicultores, Nelson Itikawa.

Em Brasília, a Frente Parlamentar da Agricultura organiza a visita de cinqüenta parlamentares, amanhã, aos ministros do STF. "Vamos demonstrar aos ministros que esperamos deles bom senso no julgamento, pois o que está em jogo não é somente a demarcação de uma terra indígena em Roraima, mas o problema das demarcações em todo o Brasil", disse o deputado federal Márcio Junqueira (DEM-RR).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG