Temporão sugere que Obama adote SUS nos EUA

O ministro da Saúde, José Temporão, defendeu o Sistema Único de Saúde (SUS) implantado há 20 anos no País e sugeriu ao presidente norte-americano, Barack Obama, que adote, nos Estados Unidos, a política de saúde pública universal. No momento, o Brasil comemora 20 anos de estruturação de uma política pública da importância do SUS, tão importante, tão importante, que o Barack Obama está procurando uma coisa parecida com o SUS para resolver o problema da saúde pública dos Estados Unidos, afirmou José Temporão, em discurso, no Palácio do Planalto, na cerimônia de comemoração do início do processo de obtenção do certificado de eliminação da rubéola no Brasil, ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Agência Estado |

Depois, em entrevista, o ministro, mesmo insistindo nos benefícios do SUS, que lembrou, atende a toda a população desde 1988, seguindo exemplo de política adotada em países como Canadá e Inglaterra, disse que gostaria de ter o orçamento do Ministério da Saúde norte-americano. "Se eu tivesse o orçamento que a nova ministra da Saúde dos Estados Unidos tem, a gente fazia o melhor sistema de saúde do mundo disparado aqui. Lá são US$ 670 bilhões e nós estamos, modestamente, com R$ 50 bilhões", comentou o ministro Temporão, insistindo que lá 45 milhões de norte-americanos não têm qualquer direito a atendimento médico e aqui o atendimento é para todos.

Questionado sobre as deficiências do crítico sistema de saúde do País, Temporão rebateu. "Temos um orçamento condicionado à realidade econômica brasileira e ele é muito eficiente", disse. Em seguida, salientou que "temos muita coisa a mostrar", mas reconheceu que "ainda há muito a fazer". Para o ministro, "o sistema de atendimento universal é mais eficiente do que o baseado no livre mercado". E emendou elogiando os excelentes resultados nos últimos anos com os programas de imunização, de transplante, de Aids e Saúde da Família.

Na cerimônia, Temporão informou que, em cinco meses, foram imunizadas contra a rubéola 67,2 milhões de pessoas, alcançando 95,79% da população alvo. "É a maior campanha já realizada no mundo de vacinação", comemorou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG