RECIFE ¿ O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, se reúne nesta terça-feira, durante o IX Fórum dos Governadores do Nordeste, com os nove governadores da Região, para reforçar a necessidade de intensificar as ações de combate à dengue. A reunião, que acontecerá no Recife no Palácio dos Campos das Princesas, conta com a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Durante o encontro, o ministro apresentará dados do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), divulgado recentemente e que apontou, na Região, três municípios com risco de surto de dengue: Mossoró (RN), Itabuna e Camaçari (BA).

De acordo como o Ministério da Saúde (MS), o Nordeste tem outros 24 municípios em estado de alerta, dos quais seis são capitais: Recife, Salvador, Natal, São Luís, Aracaju e Maceió.

O ministro aproveitará o encontro com os governadores para apresentar o quadro geral de investimentos. No mês de outubro deste ano, foi anunciado um aumento de recursos para o combate à dengue no valor de R$ 128 milhões, dos quais mais de R$ 40,4 milhões destinados aos Estados da Região. 

O Nordeste conta ainda com 791 homens das Forças Armadas para o combate à doença, caso seja necessário. Apesar do momento não ser de intensa transmissão da doença na Região, o ministro irá reforçar a importância de manter as ações e intensificá-las quando houver aumento de casos, o que geralmente ocorre a partir de março, quando  ocorrem chuvas combinadas com temperaturas elevadas.

Temporão se preocupa especialmente com o período de transição nas prefeituras. Segundo o ministro, o momento atual, de troca dos prefeitos, merece atenção. A descontinuidade dos trabalhos de prevenção à dengue, como demissão de funcionários ou fim das ações de formação profissional, pode comprometer o andamento dos trabalhos. Nós não podemos correr nenhum risco por conta da mudança do gestor. Por isso, estou convocando todas as equipes de transição para incluírem o tema dengue, dentro do conjunto de prioridades das ações de saúde, afirmou.

Com informações do Ministério da Saúde

Leia mais sobre: dengue

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.