RIO DE JANEIRO - O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, não descartou nesta terça-feira a possibilidade de uma nova epidemia de dengue no Rio, Estado que tem um dos piores índices de infestação da doença. Ele discordou da opinião de alguns epidemiologistas que afirmam que dificilmente ocorrerá novos surtos nos mesmos locais do ano passado.

"Essa é uma posição acadêmica muito perigosa, de que não é preciso fazer muita coisa porque o vírus já circulou muito. Esse é o erro que o Brasil cometeu o tempo todo, uma postura pragmática e meio cínica", afirmou Temporão, antes de fazer uma palestra sobre a doença no encontro com 72 prefeitos eleitos no Estado do Rio, em Petrópolis.

O ministro disse que as prefeituras têm que estar preparadas para o pior cenário no caso de uma nova infestação do mosquito Aedes aegypti , causador da doença. "Caldo de galinha e prudência não fazem mal a ninguém. Se o pior não vier, ótimo. Mas se vier, temos que estar preparados para enfrentá-lo", afirmou, acrescentando que irá trabalhar todos os anos independentemente de ter ou não epidemia, porque "só assim será possível controlar efetivamente ou erradicar a médio ou longo prazos essa doença."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.