O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, evitou comentar hoje o fechamento do setor de transplantes do Hospital Clementino Fraga Filho, na ilha do Fundão, da Universidade Federal do Rio. Após participar de encontro do Conselho Nacional de Segurança Alimentar, no auditório do Palácio do Planalto, ele disse que o problema deve ser discutido pela direção do hospital e pelo município.

"A questão do hospital de Fundão é responsabilidade do gestor local e do secretário municipal do Rio", disse.

Técnicos do governo federal ressaltam que o repasse de recursos para o hospital aumentou 48% no ano passado para procedimentos na área de transplantes de rim e fígado, passando de R$ 2,9 milhões para R$ 4,3 milhões mensais. Reportagem publicada hoje pelo Estado informa que, desde abril, cinco pacientes do hospital que aguardavam procedimento morreram e 700 aguardam na fila um transplante.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.