O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse hoje que os recursos a serem arrecadados caso o Senado referende a criação da Contribuição Social para a Saúde (CSS) serão direcionados única e exclusivamente para o Fundo Nacional da Saúde. Segundo ele, no caso da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), não havia, no texto da lei, a determinação para aplicação exclusiva em saúde.

"Essa é uma grande mudança, é uma grande virtude", afirmou ele.

Temporão disse que se fala muito da CSS e se esquece o "outro lado". "Com a Emenda 29 vamos de uma vez por todas definir com clareza o que são gastos de saúde", disse. Segundo ele, 20 dos 27 Estados não cumprem a resolução do Conselho Nacional da Saúde, aplicando menos que o necessário no setor. "Os Estados vão ter que botar mais dinheiro." Ele admitiu que há uma questão polêmica em relação à estrutura fiscal do País e o peso dos tributos. "Eu tenho que olhar pelo lado da demanda do Sistema Único (de Saúde, o SUS) e dos 160 milhões de brasileiros que dependem única e exclusivamente do sistema", disse.

O ministro participou hoje da inauguração do Centro Hospitalar de Reabilitação Ana Carolina Moura Xavier, em Curitiba. O centro de 10,3 mil metros quadrados recebeu investimentos de R$ 35 milhões em obras e equipamentos e terá entre os parceiros a Universidade Federal do Paraná (UFPR) e a Associação Paranaense de Reabilitação. O centro contra com 64 leitos e quatro salas cirúrgicas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.