Temporão discorda de Lula e defende restrição a fumante

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, defendeu hoje a proibição do fumo em lugares fechados. Todas as evidências mostram que não há nível seguro de proteção em ambientes coletivos para não fumantes, na presença de um fumante.

Agência Estado |

A única maneira segura é proibir o fumo em lugares fechados", afirmou Temporão, acrescentando que o Ministério da Saúde apóia fortemente a proposta. A declaração do ministro é um contraponto à defesa feita ontem pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, da prática do fumo em qualquer lugar porque, no seu entender, só fuma quem é viciado.

Ao comentar a declaração do presidente da República, Temporão disse que ela foi (publicada) "fora de contexto". E emendou: "(A declaração) foi colocada em uma reportagem em um momento muito específico e singular". Na avaliação do ministro da Saúde, o presidente Lula tem preocupação com os males do fumo: "No fundo, no fundo ele apóia (o projeto que proíbe o fumo em lugares fechados)."

A respeito do projeto do Ministério da Saúde que está na Casa Civil e propõe a extinção dos fumódromos em recintos fechados e libera o cigarro, com raras exceções, apenas na rua ou em casa, Temporão disse: "É um passo importante para o Brasil." Ele citou a estatística de que sete brasileiros morrem por dia no Brasil por fumo passivo. O governador de São Paulo, José Serra, também é um dos defensores da proibição do fumo em lugares públicos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG