Temporão desiste de proibir propaganda de remédio contra dengue

RIO DE JANEIRO - O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse nesta sexta-feira, no Rio, que pedirá à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que envie carta aos laboratórios farmacêuticos para que suspendam, voluntariamente, a publicidade de remédios feitos com o analgésico paracetamol. Pela manhã, Temporão havia afirmado que solicitaria à Anvisa a proibição da propaganda nos meios de comunicação social, mas recuou porque não há lei que permita a adoção de tal medida.

Agência Estado |



Segundo ele, algumas mortes que são investigadas podem ter ocorrido por "excesso do uso" do medicamento, que é o mais prescrito pelos médicos em caso de dengue.

Temporão ressaltou que a suspensão das mensagens publicitárias deve ser feita apenas durante a epidemia. O ministro da Saúde também pediu à indústria farmacêutica que, nas mensagens, dêem ênfase à necessidade de se procurar um médico antes de tomar qualquer substância.

De acordo com alguns especialistas, não é recomendado o uso de nenhum antitérmico, caso do paracetamol, como tratamento para a doença, pois não há estudos que assegurem a segurança e eficácia.

Leia também:

Leia mais sobre: dengue

    Leia tudo sobre: dengue

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG