Temporais voltam a causar transtornos no Rio Grande do Sul

Ventanias, chuvas e tempestades de granizo isoladas voltaram a causar transtornos em algumas regiões do Rio Grande do Sul nesta sexta-feira. O caso mais grave ocorreu em Santo Ângelo, no noroeste do Estado, onde um homem morreu eletrocutado ao tocar num fio da rede elétrica que havia sido derrubado pelo vento.

Agência Estado |


Em Rio Grande, no sul do Estado, duas casas de uma ilha foram alagadas pela chuva. Na fronteira com o Uruguai, os moradores de Chuí se assustaram com rajadas de vento de até cem quilômetros por hora, mas não havia registros de prejuízos até o final desta tarde. Em Cachoeirinha, na região metropolitana de Porto Alegre, cem famílias estão isoladas por alagamentos.

Agência Estado
A Ilha da Torotama é a região mais atingida pela chuva no Rio Grande do Sul. Na localidade de pescadores que fica a 40 quilômetros do centro de Rio Grande, no sul do Estado, muitas casas estão alagadas.
A Ilha da Torotama é a região mais atingida pela chuva no Rio Grande do Sul. Na localidade de pescadores que fica a 40 quilômetros do centro de Rio Grande, no sul do Estado, muitas casas estão alagadas.


Apesar dos novos transtornos, provocados por um ciclo extratropical que se formou na costa do Uruguai, o nível dos rios de todo o Estado continuaram baixando. Mesmo assim, ainda há 2,6 mil pessoas desabrigadas e 2,9 mil desalojadas no território gaúcho, segundo a Defesa Civil. Elas pertencem a famílias que saíram de casa durante a enchente e as tempestades de granizo da semana passada e que ainda não puderam voltar.

Os serviços de meteorologia indicam perspectiva de rajadas de vento com velocidade de até 80 quilômetros por hora neste sábado na zona leste do Rio Grande do Sul, com redução da chuva e volta do sol ao longo do dia.

Leia também:


Leia mais sobre: chuvas

    Leia tudo sobre: chuvachuvasrio grande do sul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG