A causa do blecaute ainda não foi diagnosticada, mas o ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou ontem que os técnicos trabalham com a hipótese de que algum problema atmosférico, como raios ou tempestades, tenha motivado a queda da energia. Apesar do incidente, ele destacou que o sistema elétrico brasileiro é um dos mais eficientes do mundo, e não há como comparar a situação com o racionamento de energia de 2001.

Segundo ele, foi "um acidente" e o sistema é confiável. Lobão soube do problema quando estava em uma reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os governadores do Rio, Sérgio Cabral, e do Espírito Santo, Paulo Hartung, para tratar do pré-sal, no Centro Cultural do Banco do Brasil.

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) informou que o problema estava na Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista e acreditava que ainda na madrugada de ontem a energia fosse totalmente restabelecida. O apagão estava concentrado em São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Na Região Nordeste, algumas regiões foram atingidas apenas por causa do sistema de proteção de rede, que interrompe a distribuição quando alguma falha é detectada. O ONS informou que a perda foi de 17 mil megawatts.

As máquinas da Hidrelétrica de Itaipu desligaram-se automaticamente por volta das 22h20 - procedimento padrão sempre que ocorre algum problema. Segundo a assessoria da binacional, não havia indícios de problemas na usina. Além dos 14 mil MW normalmente produzidos por Itaipu - que responde por 20% do consumo nacional -, outros 3 mil MW foram derrubados para garantir a segurança.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.