Temer tenta acordo para retirar urgência de projeto

O presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), vai tentar um acordo entre o governo e a oposição para a retirada do regime de urgência na tramitação das propostas do marco regulatório do pré-sal apresentados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em troca de fixar um calendário para a votação dos projetos. A alternativa que será discutida amanhã prevê a conclusão da votação pela Câmara em um prazo próximo de 60 dias.

Agência Estado |

"Eu vou tentar um caminho que pode suspender a obstrução", afirmou Temer."Vou conversar com os líderes do governo e com os líderes da oposição. Se houver acordo, ele será fielmente cumprido e eu serei o fiador", completou.

Temer lembrou que a retirada do regime de urgência depende do presidente Lula. A intenção é facilitar as votações na Casa que vêm sendo obstruídas pelos partidos de oposição, DEM, PPS e PSDB. Os projetos chegaram à Câmara na semana passada, mas até agora, a discussão tem sido centrada na tramitação das propostas.

O líder do PT, Cândido Vaccarezza (SP), avaliou que o fato de o debate estar na urgência da tramitação é um fator político que deve ser encarado pelo governo dessa forma. "Se interessar politicamente ao governo dar vitória à oposição nesse caso, o governo vai retirar a urgência e fixar um calendário", afirmou o líder petista. Ele argumentou que a falta de quórum na sessão de hoje, que impediu a votação de medidas provisórias, não altera a disposição do governo.

Os partidos de oposição marcaram para amanhã à tarde uma reunião para avaliar o quadro político com os presidentes dos três partidos, PSDB, DEM e PPS, e com os líderes das legendas na Câmara e no Senado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG