Temer é eleito para Câmara em dupla vitória do PMDB

BRASÍLIA (Reuters) - O deputado Michel Temer (PMDB-SP) é o novo presidente da Câmara para o biênio 2009/2010. Trata-se de uma dupla vitória para o PMDB, que venceu no Senado com José Sarney (AP), em resultado anunciado pouco antes. Em votação secreta e eletrônica nesta segunda-feira, Temer, que teve o apoio de 14 partidos, foi eleito com 304 votos dos deputados, desbancando Ciro Nogueira (PP-PI), com 129, e Aldo Rebelo (PCdoB-SP), que teve 76 votos. Votaram 509 dos 513 deputados.

Reuters |

Em seu primeiro discurso depois da posse, Temer afirmou que, mesmo sendo do PMDB, presidirá a Câmara de acordo com os interesses de todos os partidos. Ele destacou que os deputados precisam se preparar para ajudar o Brasil a combater os efeitos da crise financeira global e previu a necessidade de medidas impopulares.

"Vamos atravessar um biênio complicado", frisou. "Esta crise que se avizinha encontrará resistência no país e principalmente no Poder Legislativo."

Defendeu ainda a integração entre os Três Poderes. "Acima de qualquer divergência está o interesse do país", afirmou.

O deputado assegurou ainda que tentará regulamentar todos os artigos da Constituição pendentes.

Temer, que já presidiu a Câmara por dois biênios seguidos entre 1997 e 2000, substitui Arlindo Chinaglia (PT-SP). Presidente nacional do PMDB há sete anos, ele é deputado federal desde 1987.

Além da importância política do cargo, que influencia na sucessão presidencial de 2010, o presidente da Câmara vai comandar um orçamento de 3,2 bilhões de reais neste ano.

Em um momento em que o vice-presidente José Alencar se submeteu a uma cirurgia delicada para retirada de tumores e permanece no hospital, o cargo de presidente da Câmara se torna especialmente importante por ser o segundo (após o vice) na sucessão do presidente da República, nos casos de impedimento ou vacância do cargo, como viagens.

Para a votação, os deputados utilizaram oito urnas eletrônicas colocadas no plenário. A sessão levou cerca de seis horas. Antes da votação em si, os deputados tiveram discussões acaloradas sobre as regras do procedimento, divergindo sobre o horário marcado por Chinaglia e sobre o direito de concorrer aos demais cargos da Mesa Diretora.

PSOL RECORRE

O PSOL ingressou no Supremo Tribunal Federal (STF) com um mandado de segurança para garantir um lugar na Mesa Diretora da Câmara.

O deputado Ivan Valente (SP), líder do partido, argumenta que o PSOL é a única legenda que nesta legislatura representa a minoria da oposição ao governo na Casa e que o artigo 8o do regimento interno assegura a participação de um integrante deste grupo na direção.

Com a criação do bloco de partidos que apoiou a candidatura de Temer à presidência da Casa --incluindo legendas que fazem oposição ao governo, como PSDB, DEM e PPS--, o PSOL acredita que passou a ser o único partido representante da minoria.

(Reportagem de Fernando Exman; Edição de Carmen Munari)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG