Temer diz que PMDB está unido em torno de seu nome

O presidente do PMDB, deputado Michel Temer (SP), afirmou que o partido está muito unido em torno da escolha de seu nome para a vaga de vice na chapa da pré-candidata do PT à presidência, Dilma Rousseff. O parlamentar evitou confirmar se vai disputar as eleições como número dois da ministra e explicou que a decisão deve ser tomada em abril ou maio, apesar de a candidatura ser oficializada apenas em junho, nas convenções dos dois partidos.

Agência Estado |

"Fala-se no meu nome, é claro, mas eu tenho dito que no momento em que a candidata for lançada oficialmente é que se verificará qual é o nome que melhor soma para a sua candidatura", afirmou o deputado. "Eu fico honrado com a lembrança, especialmente do PMDB que, naturalmente, acha que eu posso representar adequadamente o partido."

Temer lembrou que a legenda estabeleceu apenas um pré-compromisso para compor a chapa com o PT na disputa nacional, mas disse que as siglas caminham para que haja a formalização de uma aliança. "Combinei com o José Eduardo Dutra (presidente do PT) e com o Marco Aurélio Garcia (coordenador do programa de Dilma) que nós faríamos também um programa de governo e, fechada a aliança, faríamos a fusão de ambos os programas", explicou. "O PMDB não será simples participante do governo; vai governar junto."

Estados

Impasses em relação aos palanques regionais, no entanto, são prioridades entre os peemedebistas no momento. Para Temer, o partido deve se empenhar para solucionar "problemas" nas disputas dos governos de Minas Gerais, Pará, Bahia e Mato Grosso do Sul, onde PMDB e PT ainda não fecharam acordos para as eleições de outubro.

O presidente do partido afirmou que a executiva nacional da legenda pode mesmo aceitar, em alguns Estados, alianças com partidos de oposição, como o PSDB. "A hipótese seria de intervenção, mas não é a tradição do PMDB. Muitas vezes, haverá uma certa tolerância no sentido de que, se um ou outro apoiar um outro candidato, não deverá haver intervenção", ponderou.

Temer esteve nesta segunda no Rio de Janeiro para o anúncio de uma parceria entre a Câmara e a Academia Brasileira de Letras (ABL) para as comemorações do centenário da morte do diplomata, escritor e parlamentar Joaquim Nabuco. O deputado se reuniu com o presidente da ABL, Marcos Vinicios Vilaça, na sede da Academia, no centro da cidade.

Leia mais sobre Eleições 2010

    Leia tudo sobre: eleiçãoenchentes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG