BRASÍLIA - O deputado Michel Temer (PMDB-SP), eleito nesta segunda-feira presidente da Câmara dos Deputados para anos de 2009 e 2010, deve se licenciar da presidência do PMDB.

"Penso seriamente em me licenciar. Não porque não possa acumular ambas as funções, mas eu penso em me licenciar porque essa Mesa Diretora terá uma tarefa muito ingente, muito trabalhosa nesses próximos dois anos", disse Temer.

Questionado, em entrevista coletiva, sobre a influência que o PMDB terá nas eleições majoritárias de 2010 - agora que o partido comanda a Câmara o Senado, onde José Sarney (PMDB-AP) foi eleito presidente - Michel Temer minimizou o assunto, e disse que a força do PMDB vem das lideranças municipais e estaduais.

Nós vamos debater amplamente no PMDB [sobre as eleições de 2010]. Não houve nenhuma decisão do PMDB que não fosse tomada em Executiva Nacional. Se você disser que o PMDB é forte, ele é porque elegeu mais prefeitos, mais deputados federais, ressaltou.

PT e PSDB devem disputar o apoio do PMDB em 2010, quando a expectativa é de que o governador de São Paulo (PSDB) e enfrente a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, na sucessão do presidente Lula. O cenário é imprevisível, uma vez que, apesar de formar a base de apoio do governo petista hoje, o PMDB também foi aliado de Fernando Henrique Cardoso nos oito anos de governo tucano, entre 1995 e 2002.

Leia também:

Leia mais sobre: Michel Temer - MP 446

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.