BRASÍLIA - O presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), disse nesta terça-feira que um estudo vai ser elaborado, com deputados e técnicos, para promover uma reestruturação administrativa na Casa. Além de temas como o auxílio-moradia, o salário dos deputados vai estar em pauta. O aumento não está descartado.

Vamos construir uma comissão para reestruturação administrativa da Câmara. Mas vamos dar um prazo razoável para isso, para que haja uma boa base científica.

Questionado se tal estudo incluiria o aumento do salário dos deputados, Temer disse que não ia comentar o assunto. Não vou avançar na concepção, vamos esperar 30 dias [pelo estudo]. Já quando foi perguntado se o aumento estaria, então, descartado, o presidente preferiu não responder.

A necessidade de uma reestruturação administrativa na Câmara tem se mostrado presente devido aos escândalos não só com o uso das passagens aéreas, mas também pela revelação que deputados que são proprietários de imóveis em Brasília recebem auxílio moradia da Câmara.

Além disso, não há transparência para quase toda a burocracia da Câmara. O primeiro passo nesse sentido foi dado pela publicação de informações das notas fiscais de compras ou serviços pagos com o uso da verba indenizatória.

No que diz respeito ao aumento do salário, alguns deputados alegam que parte da verba indenizatória, de R$ 15 mil, poderia ser incorporada os rendimentos mensais.


Leia mais sobre : Câmara

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.