Temer anuncia comissão para fiscalizar crise, mas evita falar em cortes na Câmara

BRASÍLIA - A Câmara dos Deputados deve instalar uma comissão especial para debater sobre a crise financeira internacional. O anúncio foi dado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer, (PMSB-SP) nesta terça-feira.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Segundo o presidente, uma das funções da comissão será a formulação de propostas para o Executivo que ajudem o País a combater as turbulências das economias nacionais. Temer disse ter conversado, inclusive, com o ex-ministro da Fazenda Delfim Neto para que ele participe das discussões.

No Senado, o presidente José Sarney (PMDB-AP) também propôs, no discurso de posse realizado na tarde desta segunda, a criação de um colegiado que monitore os efeitos da crise no Brasil.

O Senado terá ainda 10% do Orçamento deste ano cortado, de forma linear, segundo anunciou Sarney. A nova Mesa Diretora do parlamento, ainda sem definição, deve se reunir na próxima semana para definir onde serão feitas as economias.

Em contrapartida, Temer não soube dizer se a Câmara fará algo parecido. Questionado sobre a contenção de gastos que o parlamento poderia fazer frente à crise financeira, o deputado disse querer eliminar gastos, mas a única medida que anunciou vai contra isso, uma vez que um dos projetos da nova presidência é a ampliação dos serviços da TV Câmara.

Quero ampliar os serviços da TV Câmara, levar a TV para os Estados e mostrar que os deputados trabalham nos fins de semana, anunciou.

Provocado sobre o salário-extra  que os deputados recebem a cada início de ano, chamado auxílio paletó, Temer se limitou a dizer que este é um problema menor diante da crise.

Leia também:

Leia mais sobre: Michel Temer

    Leia tudo sobre: temer

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG