Técnicos avaliam reconstrução de São Luiz do Paraitinga

Técnicos do Instituto do Patrimônio Histórico e Arquitetônico Nacional (Iphan) e do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arquitetônico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat) visitaram hoje o que sobrou do conjunto histórico de São Luiz do Paraitinga (SP), atingido pelas águas que cobriram a cidade até segunda-feira, quando o nível do rio Paraitinga começou a baixar.

Agência Estado |

"Essa é uma primeira visita para se ter uma ideia, "in loco", do que aconteceu. É um ato de solidariedade à população", afirmou a superintendente do Iphan em São Paulo, Anna Beatriz Ayroza Galvão. "Estou me sentindo como se estivesse vendo uma cidade bombardeada", completou.

A E
Rua do velório municipal foi atingido pelas chuvas e caixão foi parar no meu da rua
Um grupo de 12 técnicos dos dois órgãos, acompanhado também da presidente do Condephaat, Rovena Negreiros, e da prefeita local, Ana Lúcia Bilard (PSDB), andou pela cidade por cerca de duas horas e constatou previamente que a metade dos 24 imóveis tombados como prioridade de grau 1 - casarões mais centrais e de maior valor histórico e arquitetônico - terão que ser recuperados.

Desses, seis ruíram com a força das águas. Os outros 413, enquadrados, de prioridade 1A, não foram vistoriados. O estudo que estava sendo feito pelo Iphan para transformar a cidade em patrimônio nacional, com tombamento urbanístico e paisagístico, agora vai ser revisto.

Uma equipe de especialistas em restauro e preservação vai discutir a melhor alternativa para recuperar o patrimônio luizense, com a prefeitura e a população. A presidente do Condephaat disse que um diagnóstico prévio da situação, que começa a ser feito a partir de amanhã, sairá só em 90 dias.

    Leia tudo sobre: chuvas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG