Técnica permite cicatrização adequada após traqueostomia em crianças

O Hospital Universitário (HU) da Universidade de São Paulo (USP) desenvolveu um modelo para tratar estenose de traqueia em crianças, causada pela cicatrização errada de um trauma na via aérea superior. Segundo informações da http://www.

Agência Estado |

usp.br/agen/UOLnoticia.php?nome=noticia&codntc=23910" target=_blank USP , o hospital é o único no Brasil que faz este tipo de tratamento associando método endoscópico com moldes artesanais. Os primeiros resultados mostram que de 20 crianças em tratamento com este novo método, cerca de metade já conseguiu retirar a traqueostomia.

A estenose de traqueia em crianças é responsável por dificultar a passagem de ar e, consequentemente, prejudicar a respiração. Segundo o médico José Pinhata Otoch, diretor da Divisão de Clínica Cirúrgica do hospital, a estenose de traqueia é uma doença relativamente nova com perspectiva de sobrevida reduzida, por isso a necessidade de traqueostomia - a abertura da traqueia para o meio externo. Para tratar a estenose de traqueia, a técnica do HU possibilita a utilização de moldes, que são posicionados no local comprometido pela doença. O intuito é promover uma cicatrização adequada, permitindo novamente a passagem do ar e a retirada da traqueostomia.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG