TCU questionou capacidade de construtora para obra em aeroporto

Teto do novo terminal remoto do aeroporto de Guarulhos cedeu nesta sexta-feira; tribunal solicitou atestados de fiscalização

Valor Online |

Os auditores do Tribunal de Contas da União (TCU) chegaram a questionar a decisão da Infraero para a escolha da empresa Delta Construções na construção do novo terminal remoto do aeroporto de Guarulhos. O teto cedeu na tarde desta sexta-feira e deixou dois funcionários feridos .

Em relatório de setembro, os auditores chamaram a atenção para a "falta de comprovação de capacidade técnica da empresa contratada para a execução do objeto contratado".

Nesta sexta-feira, a Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias (Conaero) anunciou que reduzirá a distância entre aeronaves de 10 milhas para 5 milhas para atenuar possível caos aére o.

Segundo o TCU, a estatal tem solicitado das licitantes, na fase de habilitação técnica, atestados de fiscalização, supervisão ou coordenação de execução de instalações de sistemas e equipamentos para esteiras de transportes automatizados, assim como de outros equipamentos, a exemplo de elevadores e pontes de embarque, experiência que a Delta não teria.

Conheça: Conheça os dez aeroportos mais odiados do mundo

A Infraero, no entanto, garantiu que iria realizar "rigoroso controle na fiscalização e no acompanhamento da execução" da obra. A estatal também informou que estabeleceu condições para que o contrato celebrado com a Delta não fosse objeto de "majoração do preço pactuado", de R$ 85,7 milhões. Em comunicado, a Delta informou que a queda do teto do terminal foi um "incidente" e que a situação já foi normalizada.

    Leia tudo sobre: aeroportoguarulhosobra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG