TCU adverte para risco de nova crise aérea no País

Os nove ministros do Tribunal de Contas da União (TCU) fizeram hoje um alerta ao País sobre a situação dos aeroportos nacionais, advertindo que a maioria deles continua apresentando problemas estruturais que não estão sendo resolvidos pelas obras em andamento, o que pode colocar o Brasil numa situação de vexame internacional, um fiasco. Um documento lido no plenário pelos ministros Augusto Nardes e Raimundo Carreiro, que destacaram o fato de que representavam todos os integrantes da corte, afirma que o apagão aéreo não foi resolvido, apenas está latente, podendo se repetir se não forem tomadas providências.

Agência Estado |

Os ministros informaram que irregularidades graves foram constatadas em obras que estão sendo realizadas em vários aeroportos, como o Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos (São Paulo), o Aeroporto Santos Dumont (Rio de Janeiro), o Aeroporto Internacional de Brasília, o Aeroporto Internacional Afonso Pena (Curitiba) e o Aeroporto Santa Genoveva, em Goiânia (Goiàs).

O documento dos ministros contendo o alerta ao País será agora encaminhado à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), à Comissão Mista do Orçamento e ao Congresso Nacional. Em relação ao Aeroporto de Vitória (Espírito Santo), o TCU anunciou que determinou a suspensão da realização das obras de ampliação. A razão da suspensão: não existe um projeto básico das obras e estaria havendo superfaturamento de R$ 43 milhões.

Do trecho do documento lido por Augusto Nardes, consta a informação de que em Cumbica, onde está sendo feita a reforma das pistas a um custo estimado em R$ 56 milhões, teria havido superfaturamento de R$ 19 milhões; no Santos Dumont, o valor das obras é de R$ 334 milhões, e o superfaturamento mencionado pelo tribunal é de R$ 43 milhões.

O texto lido por Nardes afirma que, no Aeroporto de Goiânia (Goiás), o superfaturamento encontrado, numa obra de R$ 287 milhões, foi de R$ 73 milhões, além de não haver projeto básico. Em Brasília, segundo o alerta do TCU, as obras no Aeroporto Internacional são de R$ 142 milhões, e teria sido constatado um sobrepreço de 122% em cima desse total.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG