TCE-RS nomeia deputado citado em operações da PF

O pleno do Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul (TCE-RS) indeferiu pedido de adiamento feito pelo Ministério Público de Contas (MPC-RS) e confirmou a posse do deputado estadual Marco Peixoto (PP) como novo conselheiro na instituição, amanhã. A oposição ao governo de Yeda Crusius (PSDB) se manifestou contrária à indicação de Peixoto porque o deputado, aliado do Piratini, foi ouvido conversando supostamente em códigos com pessoas investigadas pelas operações Rodin e Solidária da Polícia Federal.

Agência Estado |

A oposição também ficou insatisfeita porque, na sessão de questionamentos, Peixoto não respondeu a nenhuma das perguntas que tratavam dos conhecimentos para a função.

A decisão foi tomada hoje por quatro votos a dois. Os conselheiros entenderam que a medida cautelar proposta pelo MPC-RS, questionando tanto a conduta do deputado quanto a suposta falta do notório saber exigidos para a função, não foi acompanhada de provas.

Na semana passada, uma ex-cunhada de Peixoto disse à "RBS TV" ter sido "laranja" do deputado numa empresa. Apesar da polêmica, os deputados de situação fizeram a indicação e a governadora nomeou Peixoto para o TCE-RS.

O parlamentar nega todas as acusações e entregou ao presidente do TCE-RS, Porfírio Peixoto, com quem não tem parentesco, uma série de documentos que comprovariam que todos seus atos foram regulares. O MPC-RS estuda medidas judiciais para adiar a posse até esclarecer todas as suspeitas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG