Táxis aéreos e jatos terão fiscalização mais rígida

BRASÍLIA - As autoridades aeronáuticas brasileiras passarão a negar autorizações de voo para aeronaves ou pilotos cujos certificados ou habilitações tenham alguma pendência na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Batizada de Decolagem Certa, a iniciativa visa intensificar a fiscalização sobre a aviação geral, que concentra táxis aéreos e jatos executivos e responde por mais de 90% das quase 12 mil aeronaves cadastradas no País.

Agência Estado |

No ano passado, esse grupo respondeu por 98% dos 102 acidentes registrados pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). O sistema informatizado que possibilitará a checagem das informações foi desenvolvido em 2008 por técnicos da Gerência Regional 2 da Anac e deve estar instalado em todos os cerca de cem aeroportos públicos do País até maio.

O procedimento, segundo a agência, será simples e rápido. Quando o piloto solicitar a aprovação de seu plano de voo à Sala de Informações Aeronáuticas (AIS, na sigla em inglês), o controlador de plantão deverá acessar o banco de dados e verificar a validade das habilitações, certificados e exames médicos. Caso apareça alguma irregularidade, a autorização de voo será imediatamente rejeitada pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), braço da Aeronáutica encarregado do controle de voo no País. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: aviação

    Leia tudo sobre: avião

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG