Táxi pode ficar mais barato na hora do rush em SP

A Prefeitura de São Paulo pretende baixar o valor da tarifa de táxi nos horários de pico, na tentativa de incentivar as pessoas a utilizar o transporte público e deixar os carros na garagem. A proposta trabalhada pela Secretaria Municipal dos Transportes (SMT) e apresentada nesta semana à categoria prevê uma redução de 20% nos preços das corridas entre 7 horas e 10 horas e das 17 horas às 20 horas.

Agência Estado |

A ideia é que a tarifa diferenciada entre em vigor ainda neste ano, mas a medida enfrenta resistência dos taxistas.

A capital tem atualmente uma tarifa de R$ 3,50 a bandeirada, acrescentada de R$ 2,10 por quilômetro rodado - valor válido de segunda-feira a sábado, das 6 horas às 20 horas. Nos demais horários e aos domingos, vale a bandeira 2, com um valor de R$ 2,73 por quilômetro rodado. Segundo a proposta da SMT, as tarifas para os horários de pico receberiam o desconto com base no valor final das corridas. Os trajetos seriam feitos normalmente com bandeira 1 e ao final os taxistas fariam a conversão com base em uma tabela, que seria entregue a todos os motoristas.

O secretário dos Transportes, Alexandre de Moraes, apresentou a proposta há cerca de dez dias, em uma reunião com o presidente do Sindicato dos Taxistas Autônomos de São Paulo, Natalício Bezerra. O representante da categoria se posicionou de forma contrária, uma vez que o setor está se mobilizando por um aumento na tarifa.

Apesar de contrário à medida, Bezerra diz que se comprometeu a levar a proposta para ser analisada pela categoria. O secretário dos Transportes, no entanto, se adiantou e na manhã da segunda-feira se reuniu em separado com cerca de 200 coordenadores de pontos de táxi da cidade, no auditório do Departamento de Transporte Público (DTP), na zona norte da capital. Novamente recebeu resposta negativa.

A Secretaria dos Transportes confirmou o encontro do secretário Alexandre de Moraes com os coordenadores de pontos de táxi e afirmou que ele faz parte de uma série de reuniões periódicas com a categoria para a "discussão dos pleitos, problemas e projetos da categoria", afirmou por meio de nota. A questão do plano para reduzir a tarifa nos horários de pico não foi respondida. A reportagem solicitou uma nova resposta da SMT comentando o assunto, mas não foi atendida. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG