Taxa de embarque eleva valor da passagem em pelo menos 20%

Taxa de embarque eleva valor da passagem em pelo menos 20% Por Equipe AE São Paulo, 16 (AE) - Mesmo que seus pertences de viajante se limitem a uma inofensiva mala de mão, melhor não alimentar esperanças de que o valor desembolsado para voar com as empresas aéreas de baixo custo se resuma ao preço do bilhete. Algumas taxas inevitáveis precisam ser acrescentadas ao cálculo.

Agência Estado |

A de embarque, por exemplo, é obrigatória e inflaciona o valor da passagem em cerca de 20% (ou até 29%, no caso da Ryanair).

E as companhias criam a cada dia formas de faturar mais alguns trocados. Faça as contas antes de decidir:

SURPRESA NO PAGAMENTO
A sempre polêmica Ryanair cobra valor extra referente ao cartão de crédito usado para pagar a passagem. São acrescidos 5 libras (R$ 12) no ato da reserva. Desde o começo do ano, a taxa se estendeu ao cartão de débito Visa Electron, o que reduziu ainda mais o leque de opções não tarifadas: apenas o cartão Master-Card pré-pago segue livre de taxas.

MENU DE BORDO
Comida de bordo é outro item que significa lucro para as companhias de baixo custo. Quase todas desenvolveram menu de refeições, petiscos e lanches especiais. Tudo cobrado à parte.

TAXA DO BANHEIRO
A Ryanair encaminhou proposta à Boeing para readequar suas aeronaves e cobrar pelo uso do banheiro a bordo. Cada avião deve ficar com só um sanitário, que funcionará com o depósito de uma moeda de 1 libra ou 1 euro - o que abrirá espaço para mais seis poltronas.

PARA COMPRAR
Dá trabalho, é verdade. Mas pesquisar um a um os sites das empresas de baixo custo ainda é o método mais confiável para achar os voos mais em conta. Para garantir, faça a mesma busca no expedia.co.uk ou cheapflights.co.uk, que informam tarifas de várias empresas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG