Tasso pede para Dilma esclarecer suposta reunião à CCJ

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) afirmou hoje, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, que é preciso aprofundar as investigações sobre o suposto encontro entre a ex-secretária da Receita Federal, Lina Vieira, e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. A ministra Dilma, nos últimos meses, foi acusada constantemente por faltar a verdade.

Agência Estado |

Acho que ela deveria prestar esclarecimento à CCJ", defendeu o senador tucano, em referência ao fato de que a ministra já esteve envolvida em outros episódios nos últimos meses.

Tasso afirmou que em todos esses momentos em que Dilma foi questionada sobre denúncias - como o da criação de um suposto dossiê sobre gastos do governo Fernando Henrique Cardoso e de reuniões com o compadre do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em nome da Varig - ela negou categoricamente as informações, mas depois voltou atrás. O parlamentar tucano também lamentou a "agressividade" e a "hostilidade" com que os membros do governo questionaram a ex-secretária na CCJ.

Ele classificou a atuação dos senadores da base governista como extensão da censura que está se instalando no País. Os senadores Renan Calheiros (PMDB-AL), Romero Jucá (PMDB-RR) e Aloizio Mercante (PT-SP) argumentaram, no início da sessão, que a CCJ não era o foro adequado para ouvir Lina. Tasso disse que depois que o juiz Dácio Vieira, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, censurou o jornal O Estado de S.Paulo , agora os senadores do governo tentam impedir que o Senado ouça depoimentos "importantíssimos" do que acontece nos bastidores do poder.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG