O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou que o Brasil tem leis contra destruição de propriedades e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) responderá criminalmente pelos danos à Fazenda Santo Henrique.

AE
Tratores destruídos em fazenda invadida no interior de São Paulo pelo MST

Tratores destruídos em fazenda invadida no interior de São Paulo pelo MST

"O País tem lei, tem Constituição, e providências serão tomadas", disse. "Ninguém está acima da lei." Tarso não detalhou quais medidas são cabíveis, mas afirmou que a responsabilidade pelo problema é do ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel.

"Ele vem conduzindo muito bem o caso e apoio tudo que ele falou a respeito." O ministro do Desenvolvimento Agrário já havia dito que a atitude do MST foi "grotesca" e "injustificável", afirmando que não ficará impune.

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), classificou a invasão de "absurda" e "lamentável". "É tão absurdo que até o presidente do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) condenou", disse ele, referindo-se a Rolf Hackbart, que se declarou "indignado" com a destruição de laranjais da Cutrale pelo MST.

"Não precisa dizer mais nada. A gente sabe que Incra e MST andam, em geral, juntos. Para até o presidente do Incra ter atacado é uma demonstração do absurdo que foi feito", acrescentou Serra. "Destruição de patrimônio, crime ambiental. Uma ação muito além do lamentável."

Após imagens, cresce adesão à CPI do MST

Leia também

Leia mais sobre: MST

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.