O ministro da Justiça, Tarso Genro, disse hoje à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Grampos que só teve conhecimento da participação da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) na Satiagraha, da Polícia Federal (PF), quando a operação foi deflagrada. A informação que recebi, então, foi de regime de colaboração totalmente normal, afirmou.

Segundo Tarso, ele só tomou conhecimento do nível de participação da agência na Satiagraha após denúncias divulgadas pela imprensa.

Tarso disse ainda que se de fato a Abin participou da operação realizando grampos telefônicos ela agiu dentro da ilegalidade. "A Abin não tem essa função. Ao se comportar assim, ela perverte o estado democrático de direito", afirmou. O ministro disse ainda que em geral não tem acesso a inquéritos. "O ministro da Justiça só pede informação do inquérito se o inquérito vira um problema."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.