Tarifa de metrô e trens sobe para R$ 2,55 em São Paulo

Os paulistanos pagarão mais para usar trem e metrô a partir do dia 9 de fevereiro. O bilhete unitário do metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) passa de R$ 2,40 para R$ 2,55, um reajuste de 6,3%.

Agência Estado |

O bilhete que permite o uso integrado de ônibus e trens do metrô e da CPTM, que custava R$ 3,65, passa para R$ 3,75 - reajuste de 2,7%. Já o cartão BLA, de uso exclusivo para os fins de semana, passa a custar R$ 21,50, com reajuste de 8%.

Os novos valores foram divulgados hoje pela Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos. Segundo a secretaria, o aumento compensa a elevação de custos e acompanha o crescimento do rendimento médio das famílias na região metropolitana de São Paulo.

Em fevereiro, serão extintos os bilhetes integrados Metrô-Ônibus Simples e o Ida e Volta. Segundo a secretaria, o Bilhete Único oferece tarifa menor, é mais seguro e evita fraudes. Para quem já adquiriu os bilhetes que serão extintos, a validade será até o dia 8 de maio.

Além do aumento de tarifas, o governo paulista anunciou a criação de dois pacotes que oferecem preços reduzidos em relação ao número de viagens. A partir de fevereiro, estará disponível para a compra o Cartão Fidelidade 50, que dará direito a 50 viagens e custará R$ 112,50, ou seja, R$ 2,25 por viagem, uma redução de R$ 0,30 em relação ao preço do bilhete unitário reajustado.

Outra novidade será a redução de tarifa, a partir do dia 9 de março, para usuários que acordam de madrugada e utilizam o Bilhete Único. Chamada de Tarifa do Madrugador, o preço especial para quem utiliza o metrô entre 4h40 e 6h e a CPTM das 4h às 5h20 será R$ 0,20 mais baixo que a tarifa normal de R$ 2,55.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG