TAM tem ao menos 133 voos cancelados nesta segunda

A Anac suspendeu a venda de bilhetes da companhia para todas as rotas domésticas com decolagem prevista até a próxima sexta-feira

iG São Paulo |

Após um final de semana marcado por atrasos e cancelamentos, os voos da companhia TAM continuam apresentando problemas nesta segunda-feira. Às 22 horas, dos 804 voos programados da companhia,  133 (16,5%) haviam sido cancelados e 127 (15,8%) estavam atrasados, segundo informações da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

No domingo, às 22 horas, 156 dos 745 voos (20,9 %) programados pela companhia partiram com atrasos superiores a 30 minutos. Outros 99 (13%) foram cancelados. Em um dia normal, a média de atrasos fica em 10%. Os cancelamentos não ultrapassam 5%.

Futurapress
Série de cancelamentos de voos da Tam causa transtorno a passageiros no aeroporto de Congonhas


A aposentada Marilá Vieira, de 68 anos, tentou embarcar ontem em Congonhas com destino a Porto Alegre. Ela tinha voo programado para as 17h25. Após esperar por mais de uma hora, soube que o voo havia sido cancelado e remarcado para esta segunda, às 10h. Ao chegar ao aeroporto hoje, foi informada novamente que o voo havia sido cancelado e que embarcaria às 12h40. "Faltam explicações para saber o que está ocorrendo. Sem falar na descortesia dos funcionários da TAM."

Justificativa

Em nota, a TAM atribuiu os transtornos às chuvas que atingiram a Região Sudeste entre a noite de quinta-feira e a madrugada de sexta-feira, "o que prejudicou a malha aérea e a escala da tripulação". Segundo a empresa, o fechamento do Aeroporto Salgado Filho (Porto Alegre), na manhã de domingo, também teria prejudicado as operações.

Fontes do setor, no entanto, afirmam que os transtornos foram causados pela recusa de tripulantes em assumir voos. Na quinta-feira, a TAM teria distribuído a funcionários escalas para o restante de novembro que suprimiriam folgas. Na tentativa de contornar a situação, a empresa teria decidido atrasar ou cancelar voos de "baixa densidade" - em que a taxa de ocupação dos aviões é pequena. "A prioridade da companhia é operar em total segurança e com respeito à Lei do Aeronauta, com seus limites de jornada, horas mensais e folgas", explica a companhia em nota.

Investigações

Devido a série de atrasos e cancelamentos, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) suspendeu nesta segunda-feira a venda de bilhetes da companhia aérea TAM para todas as rotas domésticas com decolagem prevista até a próxima sexta-feira, dia 3 de dezembro. A intenção é evitar a ampliação dos problemas para os passageiros. A expectativa é que a situação esteja normalizada até quarta-feira, do contrário, novas medidas serão adotadas.

Além disso, a Anac iniciou uma auditoria na empresa, enviando inspetores para o centro de operações da companhia e para aeroportos de São Paulo. Até que seja concluída a auditoria, no prazo estimado de uma semana, também ficam suspensos todos os pedidos de acréscimos de voos na malha da TAM.

Desde agosto de 2010, a Agência está acompanhando semanalmente as escalas das tripulações das companhias aéreas, por meio de relatórios enviados pelas empresas. A auditoria na TAM visa verificar se os números encaminhados pela empresa condizem com a situação atual, uma vez que não eram previstos problemas com a carga horária dos tripulantes informada pela companhia.

A TAM suspendeu a venda de passagens conforme determinação da Anac. "A companhia está colaborando com a auditoria interna conduzida pela agência e vem empenhando seus melhores esforços para que a operação volte ao normal ao longo desta segunda-feira, diminuindo os contratempos causados aos clientes", informou por meio de nota.

Crise aérea

O segundo semestre deste ano tem sido marcado por diversos problemas com companhias aéreas. No mês de agosto a empresa aérea Gol foi responsável, no dia 2, por 52% dos atrasos e 12,6% dos cancelamentos dos voos domésticos do dia .

Segundo a assessoria de imprensa da companhia, os atrasos e cancelamentos de voos são reflexo do intenso tráfego aéreo do dia 30, com a volta das férias, que fez com que algumas tripulações atingissem o limite de horas de jornada de trabalho previsto na regulamentação da profissão.

No mês de setembro, os voos da companhia aérea Webjet apresentaram problemas por quatro dias consecutivos . O auge dos transtornos foi no dia 30, quando o número de voos cancelados pela companhia foi superior ao registrado no início da crise (dia 27), quando começaram os problemas relacionados às operações da empresa.

Por conta da série de problemas nas companhias aéreas, a Anac convocou, no último dia 22 de novembro, uma reunião, em regime de urgência , com os presidentes das principais companhias aéreas, além de representantes da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Polícia Federal, Receita Federal e Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea).

Na reunião, as seis maiores companhias aéreas brasileiras – TAM/Pantanal, Gol/Varig, Azul, Webjet, Avianca e Trip –, prometeram disponibilizar 17 aviões extras, entre outras medidas, para evitar uma nova crise nos aeroportos no fim do ano.

*Com Agência Estado

    Leia tudo sobre: voostamatrasocancelamentoproblemas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG