Nuvem de cinzas segue para o mar e voos são retomados no Brasil

Empresas informaram que tem acompanhado o movimento da nuvem de cinzas e que há condições de realizar os voos nos Sul do País

iG São Paulo | 10/06/2011 13:56 - Atualizada às 21:40

Texto:
enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios

Com a dissipação da nuvem de cinzas expelidas pelo vulcão chileno Puyehue, as empresas aéreas TAM e Gol retomaram os voos nos Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, que foram afetados desde quinta-feira. A Força Aérea Brasileira (FAB) informou que a nuvem está deixando o Rio Grande do Sul e estará totalmente sobre o mar no fim da noite desta sexta-feira.

Foto: AE

Passageiros no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em Curitiba, no Paraná. Nuvens de cinza começaram a chegar ao Estado nesta sexta-feira

A TAM acionou as operações nos voos de partida e com destino a Porto Alegre (RS) e Florianópolis (SC), mas ressaltou que pode voltar a suspender, caso haja riscos. A empresa informou que também retomou as operações para países da América do Sul. Em nota, a empresa reafirmou que está prestando a assistência necessária aos passageiros atingidos pelos cancelamentos. "Eles serão reacomodados nas próximas opções de voos disponíveis, após a normalização da situação, e serão isentados de taxa de remarcação e da diferença de tarifa."

Também nesta sexta-feira, a Gol anunciou a retomada das operações nos aeroportos de Buenos Aires (Argentina) e Montevidéu (Uruguai). A companhia destaca que tem acompanhado em tempo real o movimento da nuvem de cinzas expelidas pelo vulcão chileno Puyehue e que, pelos últimos prognósticos, encontrou condições de realizar os voos para esses destinos com segurança. Mais cedo, já tinham sido retomadas as operações nos aeroportos de Caxias do Sul e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, e Chapecó, em Santa Catarina. Pela manhã, a empresa já havia confirmado decolagens para Florianópolis, Navegantes e Joinville. 

A empresa informou que tem acompanhado o movimento da nuvem de cinzas expelidas pelo vulcão chileno Puyehue e que, pelos últimos prognósticos, encontrou condições de realizar os voos para essas cidades com segurança.

Nesta sexta-feira, a nuvem de cinza vulcânica chegou à região de Curitiba, segundo o boletim mais recente emitido pelo Volcanic Ash Advisory Centres da Argentina, instituto responsável pelo monitoramento da situação no Cone Sul. A informação foi divulgada nesta manhã pela Força Aérea Brasileira (FAB). Apesar disso, ainda não há cancelamento de operações no Estado.

Situação nos aeroportos do Brasil

Até as 21h desta sexta-feira, dos 162 voos internacionais previstos no Brasil, 56 (34,6%) foram cancelados e 27 (16,7%) sofreram atrasos, segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). No voos nacionais, dos 2,429 planejados, 327 (13,5%) foram cancelados e 595 (24,5%) tiveram atrasos.

*Com BBC Brasil

<span>Painel mostra cancelamentos no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre (RS), nesta sexta-feira (10/06)</span> - <strong>Foto: AE</strong> <span>Movimento de passageiros no Aeroporto de Cumbica, onde diversos voos foram cancelados por causa da chegada da nuvem de cinzas do vulcão chileno ao sul do Brasil (10/06)</span> - <strong>Foto: AE</strong> <span>Passageiros tentam embarcar no aeroporto de Ezeiza, em Buenos Aires, Argentina (10/6/2011)</span> - <strong>Foto: AFP</strong> <span>Policiais observam o rio Nilahue cuja temperatura chegou a 45º graus depois da erupção do vulcão Puyehue no Chile (09/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Passageiros esperam em aeroporto Jorge Newbery, de Buenos Aires, onde os voos foram cancelados ou atrasados por nuvem de cinzas de vulcão do Chile (10/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Mulheres descansam no aeroporto Jorge Newbery, de Buenos Aires, onde os voos foram cancelados ou atrasados por nuvem de cinzas de vulcão do Chile (10/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Sol é visto ao amanhecer em Buenos Aires, onde nuvem de cinzas de vulcão do Chile fez aeroportos cancelarem voos</span> - <strong>Foto: EFE</strong> <span>Aviões sujo de cinzas vulcânicas é visto no aeroporto de San Carlos de Bariloche, no sul da Argentina (07/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Imagem de satélite mostra expansão das cinzas do vulcão no sul do Chile (06/06)</span> - <strong>Foto: Reuters</strong> <span>Turista francesa espera no aeroporto de Jorge Newbery, em Buenos Aires, depois de ter seu voo para o Uruguai cancelado (07/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Turistas brasileiros Vanessa e Lucas Bremm esperam em aeroporto de Buenos Aires depois de voo ter sido cancelado (07/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Relâmpagos são vistos sobre o vulcão Puyehue, a mais de 500 quilômetros ao sul de Santiago, no Chile (05/06)</span> - <strong>Foto: AP Photo/Francisco Negroni, AgenciaUno</strong> <span>Cinzas do vulcão Puyehue caíram na noite de sábado em Bariloche (05/06)</span> - <strong>Foto: AFP</strong> <span>Camada de cinzas cobre a cidade turística de Bariloche, na Argentina, neste domingo (05/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Tratores removem as cinzas das ruas de Bariloche (05/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Carro fica completamente coberto pelas cinzas do vulcão, em Bariloche (05/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Gramado do campo de golfe do hotel Llao Llao, em Bariloche, muda de verde para cinza (05/06)</span> - <strong>Foto: AFP</strong> <span>Homem lava a casa para limpá-la das cinzas do vulcão (Bariloche, Argentina) (05/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Fumaça do vulcão vista do vilarejo de Rininahue, do lado argentino da Cordilheira dos Andes (05/06)</span> - <strong>Foto: AFP</strong> <span>Cinzas cobrem as ruas da cidade de Trelew, na Argentina (05/06)</span> - <strong>Foto: AFP</strong> <span>Helicóptero militar sobrevoa área próxima às cinzas do vulcão (05/06)</span> - <strong>Foto: AFP </strong> <span>Cinzas invadiram a cidade de Bariloche (05/06)</span> - <strong>Foto: Reuters</strong> <span>Tratores trabalham para limpar as cinzas de um resort em Bariloche (05/06)</span> - <strong>Foto: Reuters</strong> <span>Residentes observam nuvem de cinzas expelidas do vulcão Puyehue em Rininahue, perto Lago Ranco, ao sul de Santiago, Chile (06/05)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Raios são visto ao redor da nuvem de cinzas do vulcão Puyehue, no Chile (06/05)</span> - <strong>Foto: Reuters</strong> <span>Nuvem de cinzas do vulcão Puyehue, no sul do Chile (05/06)</span> - <strong>Foto: AFP</strong> <span>Nuvem de cinzas, com altura estimada em 10 km de altura, é vista sobre vulcão Puyehue, no Chile (05/06)</span> - <strong>Foto: Reuters</strong>

 

 

Texto:
enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG


Previsão do Tempo

CLIMATEMPO

Previsão Completa

  • Hoje
  • Amanhã

Trânsito Agora

Ver de novo