Talk-shows ganham espaço na TV americana Por Ricardo Bairos (30.dez) NOVA YORK - Nem só de reality shows viveu o 2009 de recessão econômica da TV americana.

Outro formato de programa de TV parece ter ganhado impulso na telinha nos últimos tempos: o talk-show.

Chamaram atenção este ano novos programas em canais sem tradição para o gênero e novos apresentadores com destaque na mídia e números de audiência altos. As grandes notícias, no entanto, foram uma polêmica mudança de horário, o anúncio da aposentadoria de um peso pesado do meio e um escândalo sexual com outro veterano da telinha.

A maior controvérsia da temporada foi o novo programa de Jay Leno, que até o ano passado apresentava o carro-chefe dos talk-shows da NBC, o "Tonight Show". O comediante anunciou sua aposentadoria e deixou o cargo para Conan O'Brien, mas logo em seguida revelou que teria um novo programa.

"The Jay Leno Show" é exibido no horário nobre das 22 horas, de segunda a sexta-feira, na mesma emissora. Imagine se a Globo colocasse Jô Soares em um novo talk-show no horário da novela das oito… A polêmica foi mais ou menos assim. Leno foi apresentador do "Tonight Show" por 17 anos.

O novo talk-show estreou em 14 de setembro, com um convidado "quente", mas críticas muito "frias". O programa não teve muitas diferenças do que ele fazia anteriormente, apesar de muitas promessas. Ainda assim, a audiência inicial foi alta, por conta a participação de Kanye West.

O cantor fez sua primeira aparição desde que interrompeu o discurso de agradecimento de Taylor Swift nos Video Music Awards, na noite anterior. A participação garantiu uma audiência de 18,4 milhões de telespectadores, mas as críticas foram muito negativas. Segundo o jornal "Los Angeles Times", o show "é uma poça rasa de comédia". Para o "USA Today", é "uma chatice que induz ao ronco".

A outra "bomba" do ano aconteceu no mês passado. Oprah Winfrey anunciou no episódio de 20 de novembro sua aposentadoria de "The Oprah Winfrey Show". A mulher mais poderosa do showbiz terminará sua participação no talk-show vespertino em 9 de setembro de 2011, depois de 25 anos no ar.

O programa tem uma audiência diária de 7 milhões de telespectadores, em média, e é um dos mais influentes da TV americana. Winfrey não desaparecerá das telas, no entanto. Ela está cuidando do lançamento do próprio canal de TV a cabo, OWN: The Oprah Winfrey Network, uma parceria com a Discovery Communications. Há rumores de que faria um talk-show semelhante para a nova emissora.

Para aumentar a audiência, vale até virar alvo da própria piada. David Letterman conseguiu números altos de telespectadores para o escândalo sexual nos bastidores de seu programa. O apresentador revelou uma tentativa de extorsão de um produtor de TV, que ameaçou revelar que ele tinha affairs com as funcionárias de seu talk-show.

A pivô da chantagem foi uma ex-namorada do sujeito. O caso foi parar na polícia e, em seguida, na Justiça. Letterman admitiu seus erros em vários episódios e fez muitas piadas com o assunto.

Enquanto a maioria dos apresentadores faz de tudo para puxar o saco de seus convidados, uma comediante passou a ganhar destaque justamente pelo oposto. Chelsea Handler é uma das melhores histórias de sucesso do gênero nos últimos tempos. O talk-show "Chelsea Lately" estreou em 2007, mas tem ganhado cada vez mais audiência para o canal de TV a cabo E! Entertainment.

Sua fórmula é muito sarcasmo e esculhambação, com tudo: o próprio programa, alguns dos convidados "B" e as celebridades que são ridicularizadas por um painel de comediantes nos dois primeiros dos três blocos do programa. A fórmula ousada deu certo: o talk-show está garantido até 2012 e já começou até a "inspirar" outros programas.

Na emissora de TV a cabo TBS, George Lopez parece estar indo pelo mesmo caminho. Seu novo programa, "Lopez Tonight", aposta no politicamente incorreto e faz muitas piadas sobre suas origens mexicanas. Um dos destaques do talk-show até agora foi uma participação de Sandra Bullock em que a atriz ganhou uma "make-over chola", para virar uma garota de gangue latina, pelas mãos da sensação da internet Chola Girl.

Em termos de nova representação de minorias entre os apresentadores de talk-shows, ninguém perde para a comediante Wanda Sykes, que é mulher, negra e lésbica, apesar de não mencionar o assunto a cada 5 minutos, como Lopez. Seu novo programa é "The Wanda Sykes Show", com humor mais político e mais destaque para a comédia da apresentadora do que para os convidados. O programa vai ao ar apenas aos sábados, na Fox.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.