Tai chi chuan está entre as técnicas preferidas para acalmar a mente

Com o aumento do estresse e a queda na qualidade de vida, as pessoas procuram alternativas para aliviar a tensão e tentar levar uma vida mais saudável. Entre as opções, as técnicas chinesas para relaxar o corpo e a mente são as preferidas e ganham cada vez mais adeptos.

Agência Estado |

O tai chi chuan, por exemplo, está na lista das artes mais requisitadas, já que promete estimular o sistema nervoso para que ele acalme a mente sem que isso exponha o corpo a lesões.

“O tai chi chuan é um exercício muito procurado pelas pessoas, pois abrange o corpo todo do indivíduo sem qualquer risco de lesões, promove a oxigenação profunda do organismo, equilibra as emoções da pessoa, estimula o sistema nervoso e ainda permite que as funções mentais se estabilizem e se ampliem”, garante a professora Maria Angela Vieira de Souza Soci, presidente da Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan e Cultura Oriental.

De acordo com José Rodríguez, autor do livro Tai chi para todos, Guia passo a passo, totalmente ilustrado (Editora Marco Zero), é possível praticar a técnica somente como ginástica, com diversos exercícios e técnicas, mas isso não é o ideal. “O aluno estaria arrancando a alma da sorte, afastando-a de sua essência. Desse modo, seria simplesmente realizar coreografias que nos fazem relaxar e despertar o corpo, perdendo todo o conteúdo.”

A atividade pode ser executada tanto pela turma da terceira idade quanto pelos esportistas, já que promete efeitos em todas as faixas etárias. “Por meio da concentração nos movimentos suaves e fluidos, o tai chi chuan busca uma vida mais saudável, independentemente da idade. Ele é muito mais do que uma arte marcial, já que é possível atingir uma sinergia perfeita entre corpo e mente”, explica Francisco Tupi, professor da TSKF Academia de Artes Marciais e campeão internacional de tai chi chuan.

Arte marcial chinesa, os textos clássicos do tai chi chuan escritos pelos mestres orientam a vencer o movimento por meio da quietude, vencer a dureza pela suavidade e vencer o rápido por meio do lento. Apesar de ter suas raízes na China, a arte é praticada em todo o mundo e apreciada no Ocidente especialmente por sua relação com a meditação.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG