Suspensa na Câmara sessão da CPI dos Grampos

A sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito da Escuta Telefônica (a CPI dos Grampos), que ouve o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, general Jorge Armando Félix, foi suspensa para que os deputados participem de votações no plenário da Câmara. Até agora, o general não fez revelações sobre a escuta telefônica envolvendo o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes.

Agência Estado |

Ele defendeu a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), afirmando que é baixo o grau de probabilidade de o órgão ter grampeado telefone do presidente do Supremo. "Temos controle, o chefe conhece todas as pessoas, as pessoas se conhecem", afirmou. O general Jorge Felix considera difícil romper a relação de confiança que existe entre as pessoas que trabalham na atividade de inteligência e sigilo.

Porém, ele fez a ressalva de que "tudo é possível". "Estamos lidando com seres humanos", disse, acrescentando que não há disputa entre a Abin e a Policia Federal (PF). "O que há é uma complementaridade. Eles se complementam, mas não concorrem. Eu não considero que haja crise e disputa de influência entre as duas organizações. E se houve algum desconforto da Abin com a PF, eu diria que está superado", afirmou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG