Suspeitos de terem assassinado idosos em Niterói confessaram o crime, diz polícia

RIO DE JANEIRO ¿ O titular da 59ª DP (Duque de Caxias), Antônio Silvino Teixeira, disse nesta quarta-feira que os cinco suspeitos de terem assassinado um casal de idosos em Camboinhas, na região oceânica de Niterói, no último domingo, confessaram o crime. Segundo o delegado, o plano do grupo era roubar a casa e assassinar as vítimas.

Redação |


Os suspeitos foram presos em flagrante na terça-feira por policiais civis da 59ª DP (Duque de Caxias) e da 81ª DP (Itaipu). O caseiro Cleiton Alves da Silva, de 22 anos, e seus amigos Marco André Silva de Sá, 20, Bruno Leonardo do Nascimento Martins, 23, Marcos Roberto Teixeira da Silva, 33, e Marcos Eranilton de Sousa Canavieira, 27, foram autuados por formação de quadrilha e estelionato.

O delegado titular da 81ª DP (Itaipu) encaminhou nesta quarta-feira à Justiça o pedido de prisão temporária por homicídio contra os cinco envolvidos. Um menor de 17 anos também foi detido, mas como não foi comprovada a sua participação na morte do casal de idosos, ele foi liberado. O caseiro, envolvido no assassinato, havia sido contratado pelas vítimas há cerca de três meses.

Crime

Os idosos foram mortos a pauladas na noite do último domingo dentro da casa em que moravam no bairro de Camboinhas, na região oceânica de Niterói. Os corpos de Humberto Cardoso Chaves, de 74 anos, e Lenice Assunção Cardoso Chaves, de 72, foram encontrados pela polícia, depois que um parente esteve no local e os donos da casa não atenderam a porta.

Chaves, ex-diretor do antigo Departamento Nacional de Estradas e Rodagem (DNER), e Lenice passaram o dia no Rio de Janeiro, onde almoçaram com parentes e amigos. Eles voltaram para casa e deveriam ter chegado por volta das 18 horas. No entanto, eles não telefonaram para os familiares, como de costume, para avisar que estavam bem.

Um primo do casal decidiu ir até Camboinhas. Os carros estavam na garagem, mas ninguém atendia aos chamados. A polícia foi acionada. O corpo de Chaves foi encontrado na copa e o de Lenice num dos quartos. Ambos tinham sinais de espancamento. A casa havia sido revirada e parentes deram por falta de um computador (que armazenava as imagens do sistema de segurança) e um laptop.

*com informações da Agência Estado

Leia mais sobre: assassinato de idosos

    Leia tudo sobre: assassinatoidososviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG