Suspeito de atropelar empresário alemão é liberado após depor

RIO DE JANEIRO - Depois de prestar depoimento à polícia, o instrutor de remo Felipe Paniza, que foi considerado suspeito de atropelar e matar o alemão Christian Wölffer no mar da Baía de Paraty (no sul do Rio), na quarta-feira, foi liberado neste domingo. Paniza, de 27 anos, havia sido chamado à Delegacia de Polícia (DP) da cidade porque os policiais receberam uma denúncia anônima contra ele.

Agência Estado |

Paniza alegou que não esteve no local do crime, e sim na Ilha Grande (na mesma região), e afirmou que a embarcação da qual é proprietário não possui motor. Wölffer, empresário alemão de 70 anos radicado nos Estados Unidos, estava hospedado na mansão do empresário Luiz Oswaldo Pastore. Ele foi morto quando nadava no Saco do Mamanguá - segundo a polícia, atropelado por uma lancha, cujo motor lhe provocou um corte profundo nas costas.

Hoje, três pessoas prestaram depoimento e confirmaram as informações dadas pelo instrutor de remo. Esta semana, os policiais devem ouvir o casal de atores Fernanda Lima e Rodrigo Hilbert, que passavam o ano-novo em Paraty e ajudaram a socorrer o empresário alemão. O crime é investigado também pela Capitania dos Portos do Estado, que tenta identificar outras embarcações que circularam por lá na quarta-feira.

Leia mais sobre: Martin Wöllfer

    Leia tudo sobre: acidenteparaty

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG