Supremo vai esperar providências de Lula

BRASÍLIA - Após reunião do presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os ministros do STF deixaram de lado críticas aos grampos supostamente feitos pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e decidiram aguardar as ações do executivo no combate às escutas clandestinas.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

Os ministros, com exceção de Carmem Lúcia, se reuniram por mais de uma hora, mas se negaram a conceder entrevistas para a imprensa. De acordo com um dos assessores do Tribunal, a partir de agora, toda a informação relativa às escutas telefônicas clandestinas vão ser fornecidas somente pela secretaria de comunicação da Corte.

Com o fim da reunião, uma nota oficial foi divulgada com o seguinte texto: "O Supremo Tribunal Federal, reunido em conselho, foi informado por seu Ministro Presidente o teor do encontro ocorrido nesta data com o Excelentíssimo Senhor Presidente da República e decidiu aguardar as providências exigidas pela gravidade dos fatos".

Leia mais sobre: grampos

    Leia tudo sobre: gramposlula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG