Suposto envolvimento de policiais na venda de cocaína a Marcelo Silva será investigado

RIO DE JANEIRO ¿ O suposto envolvimento de policiais militares na venda da cocaína que o ex-PM Marcelo Silva, de 38 anos, usou no dia de sua morte será investigado. De acordo com o delegado-adjunto da 16ª DP (Barra da Tijuca), Rafael Willys, o caso será repassado para a delegacia localizada no centro do Rio, onde teria acontecido a venda, segundo o depoimento da universitária Fernanda Cunha, de 24. O ex-marido da atriz Susana Vieira foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira na garagem do hotel Transamérica, no Rio.

Anderson Dezan, do Último Segundo |

Acordo Ortográfico

É uma conduta inadmissível. Vou mandar as informações para as delegacias do centro investigarem e tomarem as providências, afirmou o delegado.

Willys checa se irá repassar o caso para a 4ª DP (Praça da República) ou 5ª DP (Mem de Sá), já que ainda não possui o exato local onde Marcelo teria comprado a cocaína. Em seu depoimento, Fernanda disse que foi com o namorado ao centro do Rio porque ele teria que resolver pendências relacionadas ao seu imposto de renda.

Como usa remédios controlados, ela ficou sonolenta e acabou dormindo. A universitária disse que, ao acordar, viu o namorado comprando cocaína com homens fardados que estavam em uma viatura próxima. Fernanda não soube especificar o exato local porque alegou que estava sonolenta e que é de Goiânia, portanto não conhece a região.

O enterro de Silva, que estava marcado para às 14h no cemitério de Ricardo de Albuquerque, no subúrbio do Rio, foi antecipado e o cortejo saiu da capela às 13h10. Amigos e familiares acompanharam o sepultamento, mas Fernanda Cunha não esteve presente nem no velório, nem no enterro. Regina, mãe do ex-PM, afirmou que Marcelo foi enterrado com a farda da Polícia Militar.

Overdose

Marcelo Silva morreu no início da manhã desta quinta-feira em seu carro, na garagem do hotel Transamérica, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. O ex-PM e Fernanda moravam em um apart-hotel no edifício desde que ele se separou da atriz Susana Vieira, em novembro deste ano.

Durante o depoimento à 16ª DP (Barra da Tijuca), a namorada de Marcelo disse que, depois que saíram do centro do Rio, ela dormiu e, quando acordou, por volta das 15h, estava no Motel Shalimar, na avenida Niemeyer, no Vidigal, zona sul do Rio. No quarto, o ex-PM teria consumido cocaína até a madrugada. Após uma briga por causa da droga, ela teria jogado parte do entorpecente na piscina do quarto. Por volta das 3h30, Marcelo disse que estava sendo perseguido e que eles precisavam ir embora.

AE
d

Fernanda Cunha (d), junto a um policial na sacada do apart-hotel Transamérica

Ainda em seu relato, a universitária contou que o companheiro não a deixou dirigir, mesmo estando sob efeito da cocaína. Ele disse que nenhuma mulher iria conduzir o seu carro, um Polo prata. Quando chegaram à garagem do hotel Transamérica, por volta das 4h30, o ex-PM dirigiu pelo estacionamento sem parar o carro, ainda repetindo que estava sendo perseguido. Posteriormente, ele teria parado o automóvel e começado a correr em volta do veículo.

Fernanda pediu ajuda aos seguranças do hotel para acalmar Marcelo e uma vizinha teria ido ao apart-hotel onde mora a mãe do ex-PM para chamá-la. A universitária e os funcionários do hotel colocaram Marcelo no banco do carona. Já sentado, imaginando uma briga, ele disse "te peguei, te peguei", até começar a relaxar e desfalecer.

Os bombeiros foram chamados entre as 8h e 9h, mas informam que quando chegaram ao prédio já encontraram Marcelo morto. Diversas técnicas para reanimá-lo foram executadas, em vão. O delegado Rafael Willys afirmou que nada foi filmado porque na área da garagem do prédio onde o caso aconteceu não há câmeras de vigilância. No entanto, as imagens das câmeras da entrada da garagem serão solicitadas para comprovar a hora da chegada de Marcelo e Fernanda, bem como as do Corpo de Bombeiros.

AgNews

Bombeiros recolhem o corpo de Marcelo Silva no hotel Transamérica

Nesta quinta-feira, o carro usado pelo casal para ir do motel ao apartamento chegou à 16ª DP (Barra da Tijuca) apresentando marcas de sangue ao redor da lataria. De acordo com Fernanda, o ex-PM estava com a boca sangrando quando começou a correr em volta do automóvel.

O corpo do ex-marido da atriz não apresentava ferimentos ou sinais aparentes de envenenamento. O delegado Fernando Willis disse que tudo indica que a causa da morte foi uma overdose, no entanto, vai aguardar o laudo do Instituto Médico Legal (IML) para a confirmação, que ficará pronto em 15 dias.

Veja também:

  • Padrasto de Marcelo culpa Ana Maria Braga pela recaída do ex-policial
  • Susana Vieira fala sobre a morte do ex-marido Marcelo Silva
  • Susana Vieira dificulta trabalhos, diz advogado de Marcelo
  • Amigo diz que Marcelo Silva teve uma recaída com as drogas
  • Amin Khader diz que Susana Vieira ainda amava Marcelo Silva

    Leia mais sobre: Marcelo Silva

    • Leia tudo sobre: marcelo silva

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG