Suposta morte do traficante Tota será investigada pelo Bope

RIO DE JANEIRO - O Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope), investigará a suposta morte de Antônio José Ferreira, o Tota, um dos traficantes mais procurados do Rio de Janeiro e que teria sido executado nesta madrugada no Morro da Grota, numa emboscada preparada por integrantes de sua mesma facção, segundo informações do Disque-Denúncia.

Redação |

Acordo Ortográfico

Em uma reunião que envolveu o secretário de segurança pública do Rio José Mariano Beltrame e diversas áreas operacionais das polícias, ficou decidido que o Bope irá à comunidade da Vila Cruzeiro para ratificar as informações. Junto com Tota, teriam sido executados outros traficantes da quadrilha: Jansen Soares Suassuna, conhecido como Jota ou Paraíba; Ronaldo de Souza Ferreira, o Jiló ou Piu, além de mais outros dois, indentificados como Torrada e Cristiano.

O crime teria sido cometido pelo bandido conhecido como Luciano Pezão, auxiliado por Fabiano Atanázio da Silva, o FB, e Alexander de Jesus Carlos, o Choque, que é o braço direito de Tota. Márcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP, detido no presídio federal de Catanduvas, seria o mandante da chacina.

A recompensa pela captura ou informações que levassem a Tota é de R$ 10 mil, a maior oferecida pelo Disque-Denúncia

Leia mais sobre: Bope

    Leia tudo sobre: bopepolícia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG