Suplicy se defende da acusação de abrigar manifestantes pró-Battisti em seu gabinete

BRASÍLIA ¿ O senador petista Eduardo Suplicy (SP) já encaminhou sua defesa ao gabinete do senador Romeu Tuma, corregedor da Casa Legislativa, sobre a acusação de abrigar manifestantes pró-Battisti em seu gabinete.

Camila Campanerut, repórter em Brasília |

De acordo com o parlamentar, no último dia 9 de setembro, ele ofereceu ajuda a um grupo que fazia uma vigília cívica na Praça dos Três Poderes, acompanhado dos senadores José Nery (Psol ¿PA) e João Pedro (PT- AM).  Eles se manifestavam em prol da defesa do italiano Cesare Battisti, preso desde 2007 no País, e que a extradição está sendo julgada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O petista informou que as 15 pessoas que auxiliou eram idosas e estavam constrangidas pela falta de banheiros no local. No documento, Suplicy alega que por uma questão de respeito à dignidade da pessoa humana, franqueei a utilização dos toaletes de meu gabinete àquelas pessoas, tendo em vista ser a dependência mais próxima da Praça que, como se sabe, não possui banheiros públicos.

O senador avaliou que houve falta de sensibilidade humana e de espírito público aos seguranças do Senado, uma vez que as pessoas não vieram sozinhas, mas sim acompanhadas dos senadores Nery e João Pedro. Para Suplicy, a segurança deveria ter entrado em contato com ele diretamente por telefone e reforçou que não cabe à segurança do Senado acompanhar, analisar e criticar a atitude de senadores, principalmente quanto estes estão no cumprimento de seus deveres fundamentais.

A Corregedoria do Senado está estudando o caso para impedir que se abra precedentes .

Leia mais sobre: Senado

    Leia tudo sobre: suplicy

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG