O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) pediu ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) a anulação do ato que deu assistência médica vitalícia ao ex-diretor-geral Agaciel Maia. O petista assinou o documento, datado de 12 de dezembro de 2000, que não foi publicado até hoje.

O jornal O Estado de S. Paulo revelou hoje a íntegra deste ato, que estendeu o benefício médico concedido a senadores e ex-senadores ao servidor que passou, no mínimo, dois anos na Diretoria-Geral e na Secretaria-Geral da Mesa. À época, Suplicy era integrante da Mesa Diretora, então presidida por Antonio Carlos Magalhães (DEM-BA).

"Não me lembro que esse assunto tenha sido debatido em alguma reunião da qual participei", afirmou o senador. O petista admite, no entanto, que errou ao assinar a medida sem ter ciência do seu teor. "Tenho de reconhecer que essa falha também é de minha responsabilidade no episódio, apesar de ter agido de boa fé", disse. Na carta, Suplicy pede a Sarney a anulação da medida. "Entendo que esse ato é inexistente", disse. Essa decisão sigilosa soma-se a outras que jamais saíram das gavetas de Agaciel Maia. São atos que vêm sendo investigado pela comissão de sindicância instalada no Senado para levantar esses boletins.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.