Sul-africano morreu de febre maculosa, informa Fiocruz

RIO DE JANEIRO - A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) confirmou na tarde deste domingo, em entrevista coletiva, que o engenheiro sul-africano William Charles, de 53 anos, morreu em conseqüência de febre maculosa, doença transmitida por carrapato. Inicialmente, suspeitava-se que a morte poderia ter sido causada por arenavírus.

Redação com Agência Estado |

Acordo Ortográfico

Charles desembarcou no Rio em 23 de novembro, vindo de Johannesburgo, na África do Sul. Dois dias depois, o engenheiro apresentou febre e mal-estar e, com o desenvolvimento de mais sintomas, foi internado no Hospital São José. Seu estado piorou rapidamente e na manhã da última terça-feira, ele morreu.

Com a suspeita de arenavírus, 75 pessoas ficaram sob observação primeiramente, com a suspeita de estarem contaminados. Posteriormente, concluiu-se que 25 pessoas tiveram contato direto com secreções do engenheiro falecido. Agora, elas, que estavam isoladas, serão liberadas.

Leia mais sobre: febre maculosa

    Leia tudo sobre: febre

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG