Sudeste atinge média de 8 anos de estudos

BRASÍLIA - Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad 2007) indicam que a população da região sudeste atingiu, pela primeira vez, a média de oito anos de estudos, a mínima exigida pela Constituição. A média do País ainda está abaixo deste patamar, 7,3 anos, puxada para baixo pelo Nordeste, cuja população ainda tem, em média, apenas seis anos de estudos.

Agência Estado |

Os números, retirados dos micro dados da Pnad e analisados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), mostram que todas as regiões avançaram de 2006 para 2007, mas Norte e Sudeste tiveram uma melhoria um pouco maior, de 0,2 anos.

De 1992 para cá, a média brasileira subiu 2,1 anos. No entanto, ainda existem grandes diferenças entre as áreas metropolitanas - 8,5 anos de estudo - e rural, com apenas 4,5 anos. A população negra tem 1,8 anos a menos de estudo do que a branca.

O levantamento trata, ainda, da diferença de renda entre a população branca e negra. De acordo com o Ipea, esse hiato de renda começou a cair apenas a partir de 2001 e ainda os negros recebem menos da metade da renda dos brancos. "Se o ritmo continuar o mesmo, haverá igualdade racial de renda domiciliar per capita no Brasil apenas em 2029", diz o estudo do Ipea.

Leia mais sobre: Ipea

    Leia tudo sobre: ipea

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG