STJ nega liberdade a procurador-geral acusado de fraude em licitações

BRASÍLIA - A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) indeferiu o pedido de habeas-corpus do procurador-geral do município de Campos (RJ) Alex Pereira Campos, preso sob a acusação de participar de fraudes em licitações na Prefeitura local. Em março deste ano, com a operação Telhado de Vidro, a Polícia Federal desmantelou o esquema e indiciou o procurador por crime contra a ordem tributária, fraude em licitações e formação de quadrilha.

Agência Brasil |

Em sua decisão, o relator do habeas-corpus, ministro Jorge Mussi, considera que a prisão preventiva do acusado é necessária para manter a ordem pública e econômica, para a conveniência da instrução criminal e para a aplicação da lei penal, conforme prevê a lei.

Mussi também avalia que, em razão da gravidade dos fatos, como a acusação por corrupção, lavagem de capitais, extorsões e outras  fraudes envolvendo a própria estrutura administrava do Município, a prisão preventiva, ao menos nessa fase, é justificada. Por fim, ressalta que o caso exige análise mais detalhada, o que se dará no julgamento do mérito.

Leia mais sobre: Operação Telhado de Vidro - PF

    Leia tudo sobre: operação telhado de vidropf

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG