Os cinco envolvidos no episódio de suborno de testemunha do Mensalão do DEM, em Brasília, que estão presos na Penitenciária da Papuda, também ganharão liberdade. A decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), anunciada nesta tarde, favorável à libertação do ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda (ex-DEM), beneficia todos os envolvidos que foram presos também em fevereiro.

O primeiro deles, o ex-conselheiro do Metrô de Brasília, Antônio Bento, foi preso em flagrante em 5 de fevereiro durante a suposta tentativa de suborno do jornalista Edmilson Edson dos Santos, o Edson Sombra. Os outros quatro, o ex-diretor da Companhia Energética de Brasília (CEB) Haroaldo de Carvalho; o ex-secretário de Comunicação do Distrito Federal, Wellington Moraes; o suplente de deputado Geraldo Naves; e o assessor do ex-governador Rodrigo Arantes, tiveram a prisão decretada no mesmo dia que Arruda e agora também ganharão liberdade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.