STJ adia decisão sobre novo júri para Pimenta Neves

BRASÍLIA - A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu nesta terça-feira adiar o julgamento do recurso apresentado pela defesa do jornalista Antônio Marcos Pimenta Neves, condenado a 19 anos e dois meses de prisão por matar a ex-namorada, Sandra Gomide.

Carollina Andrade - Último Segundo/Santafé Idéias |

No recurso, a defesa pede a anulação da condenação, alegando que o processo não poderia ter sido julgado sem a apreciação de requerimentos formulados pelos advogados do acusado. Outro ponto levantado pela defesa relata cochilos de jurados durante o julgamento.

A decisão foi adiada devido a um pedido de vista do ministro do STJ Og Fernandes. Antes da interrupção, a relatora Maria Thereza de Assis Moura defendeu a redução da pena-base de 16 anos para 15 anos. Com a sugestão, a punição do jornalista deverá ser de 17 anos de prisão.

Entenda o caso

O jornalista foi condenado pela morte, a tiros, da ex-namorada Sandra Gomide, em agosto de 2000. O delito é de crime homicídio qualificado por motivo torpe (ciúmes) e uso de recurso que impossibilitou defesa da vítima. Na época, ela tinha 32 anos e o crime aconteceu em um haras na cidade de Ibiúna, no interior paulista. Pimenta Neves ficou preso por sete meses, até 2001, quando uma liminar do Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu o direito para que o jornalista respondesse ao processo em liberdade. Em novembro de 2007, o STJ confirmou a decisão.

Após o pedido de vista, o advogado da família de Sandra, Sergei Cobra Ardex, afirmou estar muito satisfeito com o relatório da ministra Maria Thereza que, segundo ele, era o que mais preocupava. Acho que este caso já está ganho, mas não quero comemorar antes do tempo. A Justiça será feita e o senhor Pimenta Neves terá que pagar pelo crime que cometeu, afirmou.

Leia mais sobre: Caso Pimenta Neves

    Leia tudo sobre: caso pimenta neves

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG