http://educacao.ig.com.br/acordo_ortografico/Acordo Ortográfico hspace=4 src=http://images.ig.com.br/educacao/reforma_140x75.gif align=left vspace=3 border=0 SÃO PAULO - O casal Alexandre Alves Nardoni e Anna Carolina Trotta Peixoto Jatobá, acusado de assassinar Isabella Nardoni, 5 anos, em São Paulo, teve mais um pedido de liberdade negado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A decisão foi do ministro Joaquim Barbosa. É o quarto pedido de habeas-corpus negadado pelo Tribunal.

Dois pedidos foram negados anteriormente pela ministra Ellen Gracie, em agosto, e um outro pelo próprio ministro Joaquim Barbosa, em setembro.

Os advogados de defesa do casal pediram a liberdade dos Nardoni com o argumento de que não há provas do crime. Eles alegam que os indícios de que a menina teria sido esganada, conforme dados apontados pela pericia, não existem de fato.

Além disso, afirmam que a prisão é desnecessária porque não haveria ameaça à ordem pública caso permanecessem em liberdade. Outro argumento é de que houve irregularidade no inquérito, e que o juiz usou expressões que comprometem o julgamento perante o Tribunal do Júri.

Decisão

Os argumentos apresentados pela defesa não foram suficientes para convencer o ministro Joaquim Barbosa. Na última sexta-feira (14), Barbosa decidiu manter o casal na cadeia. "Anoto que as alegadas irregularidades havidas no curso das investigações policiais, ainda que verdadeiras, não determinam, automaticamente, a nulidade da decisão que recebeu a denúncia, nem tampouco do processo penal subseqüente", destacou. 

O pedido foi negado em caráter liminar. O mérito do habeas-corpus ainda será julgado, mas o STF não tem data definida. No último dia 31, o 2º Tribunal do Júri da Comarca de Santana (SP) decidiu que o casal irá a júri popular.

Leia mais sobre: caso Isabela

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.