Em resposta à declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que as críticas feitas pelo ministro Gilmar Mendes ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) teriam sido feitas na condição de cidadão, e não como chefe do Judiciário, a assessoria do Supremo Tribunal Federal (STF) declarou hoje que o presidente da Corte falou na qualidade de chefe do Poder Judiciário, que tem responsabilidades políticas e institucionais inerentes ao cargo. Hoje, Lula julgou como inaceitável a ação do MST que resultou na morte de quatro seguranças de uma fazenda em Pernambuco.

"É inaceitável a desculpa de legítima defesa para matarem quatro pessoas. É inaceitável e, portanto, a justiça terá de ser feita para apurar a verdadeira responsabilidade", afirmou. Em seguida, o presidente comentou sobre a declaração de Mendes. "Quero crer que o ministro Gilmar Mendes tenha dado a opinião como cidadão brasileiro. Quando houver processo, ele dará sua opinião e possivelmente seu voto", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.